Ligue já: + 55 (45) 3525-6496 

(45) 99977 8237

EDUCAR É UM EXERCÍCIO MÁGICO - artigo

logo 2       EDUCAR É UM EXERCÍCIO MÁGICO  

Uma Educação Mais Humana, Transformadora e Afetiva.

 A sociedade contemporânea apresenta-se com grandes desafios para os profissionais da Educação. Exercer essa função com eficácia e qualidade é uma tarefa complexa e cheia de surpresas para professores e professoras.

 Fazer da escola e do ato de educar espaços e momentos prazerosos, alegres e felizes para professores e alunos demandam muita criatividade, motivação e gosto pelo desafio. Mas é possível fazer do ambiente escolar um exercício de qualidade de vida, realização pessoal e profissional, basta estarmos abertos a idéias e propostas inovadoras. Entrando em contato com as mais variadas linguagens acerca do ensino aprendizagem. Instalando assim, a Magia do aprender com alegria.

Nesse sentido, a ludicidade precisa reconquistar um espaço nas salas de aula, pois sendo este um lugar de encontro de pessoas no momento em que estão descobrindo muitos conhecimentos com relação à vida e ao mundo, começando uma caminhada que marcará profundamente o seu desenvolvimento. As inter-relações entre os indivíduos, seus sentimentos, afetos e sonhos, precisam ser legitimados, buscando a superação da fragmentação e do isolamento.

Percebe-se que a sala de aula vem perdendo a magia a cada ano que passa, tornando-se um ambiente sério e austero, permeado por um clima muitas vezes tenso e angustiado. Essa inquietação faz vir à tona alguns questionamentos: Por que se brinca tão pouco na escola? Por que a cultura lúdica brasileira, na sua forma pluricultural e rica em folclore não habita os domínios escolares? Sendo a escola o universo de encontro da infância, por que os cursos de formação de professores descartam a possibilidade de vivencia do lúdico em suas propostas?

Assim como no processo de ensino, necessita-se de uma intencionalidade por parte dos professores e professoras, para planejar as ações interdisciplinares que serão vivenciadas, através de uma postura lúdica. Entende-se que o tempo de questionar e o tempo de descobrir unem-se ao tempo de aprender e ao tempo da alegria, que se cruzam e se completam.

Apropriando-se do pensamento de Alícia Fernandes, tem-se o desafio de não se obrigar a urgência de dar respostas certas, pelo contrário, “[...] é preciso desfrutar o prazer de aprender, o brincar com as idéias e as palavras, com o sentido do humor com as perguntas dos alunos”, (FERNANDES, 2001. p36), superando a pressa, para dar conta de conteúdos “obrigatórios” que muitas vezes o aluno esquece rapidamente.

É preciso entender que, [...] a alegria na escola fortalece e estimula a alegria de viver. Se o tempo da escola é um tempo de enfado em que o educador e a educadora e educandos vivem os segundos, os minutos, os quartos de hora a espera de que a monotonia termine a fim de que partam risonhos para a vida lá fora, a tristeza da escola termina por deteriorar a alegria de viver .(FREITAS, 2001, p.39)

De fato, uma proposta lúdica articulada a interdisciplinaridade, liga-se nessa rede, onde no exercício do encontro humano, cada momento é único, subjetivo e singular, cheio de mistérios, encantamentos, desencantos, conquistas e desafios incompreensíveis.

No entanto, ser educador ou educadora é estar trabalhando para fazer um mundo melhor a cada dia, é saber que a sociedade é feita por cada um e cada uma que circula por nossas vidas durante um ano, vários anos e assim sucessivamente. É provocar uma metamorfose diária, transformando e deixando se transformar, e, assim, ir tocando a vida, como um barco que navega, às vezes em águas mais calmas, por outras turbulentas, mas com a certeza e confiança de que chegará ao destino. Nesse sentido, a magia de educar e a magia de aprender, remetem as possibilidades de vivenciações possíveis que conduzirão ao sucesso conseqüente. Professor Lilo Dorneles – 04/01/2009.

www.professorlilo.com.br - Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.